Cabo Verde assinala passagem de Darwin

Há 180 anos atrás o veleiro Beagle, levando a bordo o jovem Charles Darwin, passava por Cabo Verde, a caminho daquela que seria a sua viagem pelo mundo e da qual resultou o livro A Origem das Espécies.
 

Quando se comemora o bicentenário do nascimento de Darwin e 150 anos da publicação do seu livro revolucionário, um grupo de cientistas está a reconstituir a célebre viagem reveladora do naturalista inglês, tendo já passado por Cabo Verde.

Trata-se de um projecto apadrinhado por dois descendentes de Darwin, mais concretamente, os seus tetranetos, Rendall Keynes e Sara Darwin.

Consta que foi em Cabo Verde, durante uma escala, que começaram as inquietações do jovem Charles Darwin, que acabariam por dar lugar à sua célebre teoria sobre a origem e a evolução das espécies.

Em vias de completar 23 anos de idade, Darwin desceu à terra na cidade da Praia e embrenhou-se pelo interior da ilha de Santiago, observando a paisagem, a fauna e as pessoas.

Darwin relata que foi na localidade São Domingos que viu e comeu polvo pela primeira vez.

Darwin embrenhou-se pelo interior da ilha de Santiago
Darwin chegou a Cabo Verde aos 22 anos

Experiências

E foi em Trindade onde viu o primeiro baobá, ou imbondeiro, que ainda hoje existe e resiste ao tempo, havendo nos seus troncos inscrições humanas com mais de 100 anos.

Por tudo isso, segundo a professora brasileira Katia Mansur, do projecto Os Caminhos de Darwin no Brasil, Cabo Verde é quase um marco inicial nos estudos do cientista.

“Cabo Verde foi o primeiro lugar onde Darwin pisou depois que saiu da Inglaterra. Ele ficou aqui de 16 de Janeiro a 8 de Fevereiro, quatro dias antes de fazer 23 anos. Depois é que foi para o Brasil.”

A passagem de Charles Darwin por Cabo Verde é algo que passa a constar da toponímia da cidade da Praia.

A Câmara Municipal da Praia decidiu atribuir o nome do naturalista inglês a uma das avenidas da cidade, conforme explica o edil, Ulisses Correia e Silva:

“A Cidade da Praia desempenhou também um papel importante em toda a pesquisa que Charles Darwin fez e que levou à sua teoria da evolução. Nós estamos orgulhosos.”

Reações

Satisfeitos com o gesto da Câmara Municipal da Praia estão, naturalmente, os dois descendentes de Charles Darwin, ou seja, os seus tetranetos Rendall Keynes e Sara Darwin, que se deslocaram a Cabo Verde para a homenagem.

“É um grande privilégio para Sarah Darwin e para mim, dois tetranetos de Darwin, revelar esta placa e estar aqui para a nomeação da rua, a avenida Charles Darwin. Estamos muito contentes que ele esteja a ser lembrado aqui pelo povo de Cabo Verde.”

Keynes e Sara Darwin mostraram-se contentes com a homenagem

Homem do mar, interessado pelas coisas da natureza, Emanuel Charles de Oliveira, vulgo Monaya, é de há muito um dos interessados pela passagem de Darwin por Cabo Verde.

Para ele, há muito que o nome de Charles Darwin devia constar da toponímia da capital caboverdiana.

“Aqui é que começou tudo, os trabalhos dele, a sua viagem e chegamos a um ponto em que de facto foi reconhecido pública e oficialmente a sua importânica pela passagem pela Cidade da Praia.”

Emanuel Charles de Oliveira, Monaya, sobre os 182 anos da passagem de Charles Darwin a Cabo Verde.

 Fonte: BBC África
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s