Gilberto Gil: ‘Não dá para fazer a Copa sem negros e pobres nos estádios’

Cantor baiano é uma das estrelas desta edição da Festa Literária Internacional de Paraty
CAIO BARBOSA

Paraty – O cantor Gilberto Gil fez o show que deu o pontapé inicial no Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) na noite desta quarta-feira e deu uma entrevista coletiva na cidade nesta quinta. O baiano criticou veementemente a ausência de pessoas das classes sociais menos favorecidas nos estádios brasileiros durante a Copa das Confederações deste ano e pediu mudanças para a Copa do Mundo do ano que vem.

Cantor Gilberto Gil dá entrevista em Paraty

Foto:  João Laet / Agência O Dia

“Não sei o que vai ser feito, se com cotas através do governo ou mesmo da iniciativa privada, o que não dá é pra gente fazer uma Copa no Brasil sem os negros, os pobres, sem os torcedores nos estádios. Estive no Maracanã na final da Copa das Confederações (Brasil X Espanha), um lugar onde sempre vou por causa do Fluminense. Lá, vi o (Joseph) Blatter, o Zagallo, a Ivete (Sangalo), o Bebeto, mas não vi o povo”, apontou Gil.

O cantor, que também participou da mesa “Culturas Locais e Globais” às 14h30 desta quinta, completou ainda: “Na hora em que o Fred e o Neymar foram comemorar os gols, ali próximo de onde era a Geral, vi o Maracanã muito esbranquiçado, sem matiz. Não dá para uma Copa não ter a (presença da) Mangueira, não ter a Rocinha e a Cajazeiras, lá em Salvador”.

Legado Cultural da Flip

A cidade de Paraty celebrou nesta quarta, a abertura oficial da 11ª edição de sua Festa Literária Internacional (Flip) que, como qualquer jovem desta idade, está cheia de fôlego.

“A Flip é importantíssima para a cidade. Só por sermos a sede deste evento, recebemos turistas o ano todo, o que traz muita receita para o município. Não podemos pensar só no dinheiro, mas também no legado cultural que ela pode trazer para a cidade”, explica o secretário municipal de cultura, Ronaldo dos Santos.

A Flip chega a sua 11ª edição com uma homenegem a Graciliano Ramos. Na foto, show de abertura do evento, com o cantor Gilberto Gil

Foto:  João Laet / Agência O Dia

O foco de Ronaldo e da gestão do prefeito Casé Miranda (PT) é incluir o cidadão paratiense como integrante, e não apenas como espectador de uma festa com perfil de classe média alta.

“A temática literária já faz parte do dia a dia de nossas escolas após dez anos de Flip, mas os resultados ainda são tímidos. E essa tarefa não é da Flip, mas nossa. Temos que aproveitar o que ela nos oferece, mas a transformação social tem que ser promovida pelo Estado”, admite.

No cargo desde janeiro, Ronaldo abriu as portas da secretaria para ser o QG da OFF-Flip, circuito paralelo à festa e que tem caráter popular.

“A Off-Flip está para a Flip como a Cúpula dos Povos esteve para a Rio+20. É onde rolam amplos debates, saraus, shows e até concurso sobre gastronomia sustentável”, empolga-se.

Fonte: O DIA

Anúncios

Um comentário sobre “Gilberto Gil: ‘Não dá para fazer a Copa sem negros e pobres nos estádios’

  1. Já disse os homens de opiniões e sugestões que podem mudar alguma coisa como é o caso do meu admirável e ilustre cidadão e grande musico interprete compositor tudo de bom este homem é…! GIL / olá irmão temos de lutar por causas duradoras: Saúde, Segurança Publica, Educação mudança radical na lei do menor e adolescente, acabar com a lei do dependente químico ” Não existe hospital para este fim” pra que….! tudo isso GIL é feito e é coisa de Rico e Branco a copa não seria diferente mas pouco importa copa é de 4 em 4 anos se o jovem usufruir destas citadas acima e Estudarem na próxima eles irão a copa, mas não tem estes itens acima citados o que eles vão fazer lá, vamos tomar este dinheiro ou sub sedio que vcs pedem para educação e saúde principalmente, mas não existe vontade, deixa a copa passar que os Negros e Pobres vão botar as mãos para os céus e agradecer a DEUS por não terem participados nem indo aos estádios de todo Brasil. Gil meu Irmão um beijo no seu coração e outro em Preta Gil : Lembra-se do saudoso Moacy de Ogum foi com ele que te encontrei e saímos juntos nos Gladys minha mãe costurou as roupas de S. de sua esposa apresentada por ele.
    Ruy

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s