São Luís sedia Ciclo de Palestras Cultura Afro-brasileira: Nosso Patrimônio

Maranhão recebe no próximo dia 23, o Ciclo de Palestras
Cultura Afro-brasileira: Nosso Patrimônio

Responda rápido: você sabe o que é Tambor de Mina, água de cheiro, Boi Voador, afoxé, embolada ou amalá? Essas são algumas das expressões da cultura negra espalhadas pelas cinco regiões do país que fazem parte da história do negro como agente formador dos saberes e fazeres culturais da identidade brasileira.

A oportunidade de conhecer mais sobre as práticas, costumes, conhecimentos, tradições da arte e da cultura negra será possível com o Ciclo de Palestras Cultura Afro-brasileira: Nosso Patrimônio, que realizará no Maranhão, Brasília, Porto Alegre, Vitória, Recife e Goiânia um circuito de encontros sobre a riqueza e diversidade da cultura afro-brasileira para estudantes, pesquisadores, gestores públicos e agentes culturais. O evento recebe apoio do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiro da Universidade Federal do Maranhão e da Universidade Estadual do Maranhão.

No próximo dia 23 de julho, São Luís será a primeira capital brasileira a receber o evento que está inserido nas comemorações de 25 anos da Fundação Cultural Palmares. Com a palestra Conferência Culturas Negras, afrodescendentes e afro-brasileiras – Perspectivas para políticas públicas, o evento será dividido em dois momentos: uma conferência geral e um relato de experiências das manifestações culturais do Maranhão.

A coordenadora do Centro Nacional de Informação e Referência da Cultura Negra, Rosane Borges, ressalta a atribuição da FCP de trabalhar com a memória do passado e do presente a fim de projetar uma memória para o futuro. “O nosso ciclo de palestras pretende, a partir de um viés cultural, reposicionar todas as discussões que envolvem a produção, a gestão e as manifestações culturais negras”, afirma. “Nós vamos trazer as expressões culturais de cada cidade e o debate da Política Nacional de Cultura sob a ótica das culturas negras”, ressalta.

Coleção Conheça Mais – As palestras resultarão na publicação de livros da Coleção Conheça Mais, com o objetivo de atender à demanda de material didático na área de cultura afro-brasileira, de acordo com a Lei nº 10.639/2003. “A publicação tem um papel didático-pedagógico muito interessante que registra esse momento de dialogo e se torna referência para pesquisas, estudos e reflexões não só nas cidades contempladas, mas também para todo Brasil”, garante.

banner_bumba-meu-boi

Ações afirmativas, Candomblé, Umbanda, Quimbanda, Capoeira, Gastronomia afro-brasileira, Lei nº 10.639, O negro nos meios de comunicação, Estatuto da Igualdade Racial e Quilombos são alguns dos temas já discutidos. Para as publicações que serão apresentadas em 2014, a idéia é apresentar novos temas que vão compor a série.  “A gente reedita o discurso a partir daquilo que é mais novo mais contemporâneo”, afirma Rosane.

As obras devem ser distribuídas nas escolas e bibliotecas brasileiras a fim de oferecer aos estudantes, conteúdos do patrimônio cultural afro-brasileiro que trazem à pauta a construção coletiva historicamente vivenciada por descendentes de negros e negras do continente considerado berço da humanidade, de uma forma concisa e contextualizada.

As próximas cidades a receberem o Ciclo de Palestras Cultura Afro-brasileira: Nosso Patrimônio são:

  • São Luís – 23 de julho
  • Brasília – 14 de agosto
  • Porto Alegre – 25 de setembro
  • Espírito Santo – 23 de outubro
  • Goiânia – 08 de novembro
  • Recife – 26 de novembro

 

Serviço:

O que: Culturas Negras, Culturas Afrodescendentes e Culturas Afro-Brasileiras: Perspectivas Para as Políticas Públicas – Participação: Professores Dr. Carlos Benedito Rodrigues (UFMA), Marluze Pastor Santos (UEMA) e Nelson Inocêncio (UnB).

Quando: 23 de julho à partir das 14 horas

Onde: Auditório da Faculdade de Arquitetura da Universidade Estadual do Maranhão

 

Fonte: Palmares

Anúncios

3 comentários sobre “São Luís sedia Ciclo de Palestras Cultura Afro-brasileira: Nosso Patrimônio

  1. Caro
    irmão Gilberto Gil
    lembra-se quando vc foi secretario de Cultura do Município de salvador \Capital da Bahia? estive eu na sua sala pedindo-lhe apoio para criarmos um clube social nosso vc respondeu-me com outra pergunta Ruy Vc quer fazer uma coisa de NEGROS elites ! respondi sim’ porque tudo que é feito por brancos não são elites: A copa do mundo no Brasil tem de ser elitizado porque são os brancos que fazem e pouco importa, nós queremos é saúde, educação, segurança Publica, Revisão da lei do menor e adolescentes, acabar com a lei do dependente químico (motivo não existe hospitais para este objetivo) Gil meu irmão lembra do nosso saudoso MOACY de ÔGUM ficamos amigos por causa dele inclusive saímos juntos nos Gandys. Um beijo no seu coração vamos lutar por coisa melhor e duradora copa é de 4 em 4 anos o NEGRO que não tiver dinheiro para ir a fonte Nova nem aos outros centros da copa se ele tiver 17 a 21 anos na próxima ele se estudar já estar formado num curso técnico ou faculdade e terá condições de ir. Vamos trabalhar para o pobre / Negro e não transformar estes em alimentação politica.
    Um grande abraço meu IRmão um beijo em Preta Gil

  2. Desculpas dei resposta do comentário de Gil mas agora vou fazer comentário desta matéria: As duas matérias tem haver Gil fala da presença do pobre e Negros nos estádios durante os jogos e para os jogos da copa. S. Luiz do Maranhão fala do folclore: Tenho carta branca para falar disso ai, fui tri- campeão intercolegial de folclore em salvador Bahia e aluno de BIMBA nos anos 66/67/68: Gil e S. Luiz do Maranhão nós temos diversos estádios que sediará os jogos da copa do Mundo certo, nos respectivos estados falam após a copa como devem utilizarem estes elefantes brancos certo/ Ai a sugestão querem ter de volta as aulas os adolescentes que abandonaram os estudos vamos fazer os campeonatos intercolegiais de Folclore , futebol de salão, campo, atletismo, nós já temos lugar pra isso quem sabe com sua ajuda GIL teremos no futuro bem próximo o campeonato interestadual de folclore, futebol de salão, e campo. isso sim que é motivar as crianças como eu a 44 anos atrás fui motivado a continuar na sala de aula por causa disso! S. Luiz do Maranhão já estar em cima da hora mande-me um e-mail e as passagens que irei ai participar desta honrosa palestra não dando aceitem minhas sugestões e faca contato
    Ruy F/ 71 41130429 Salvador / Bahia

  3. Senhora
    Rosane Borges
    Núcleo U.F. Maranhão.

    Didaticamente falando os senhores estão certos: Didaticamente falando é mais um tema de aprendizado para o aluno do ensino público, com as pesquisas recentemente publicada no jornal da IG. relacionada com a evasão dos adolescentes alunos (as) da escola publica que não tem as motivações a que mim refiro no outro comentaria para atrai-los para a permanência na escola os senhores acreditam que teremos frutos ? Pois sim não teremos porque ninguém vai interessa-se por uma coisa que não estar na sua alma que vc não tem acesso participativo, aprendi muito das raízes afro descendente praticando vivenciando tudo de samba de caboclo, capoeira, macule lê, puxada de rede, cânticos etc….etc… mais gastronomia sou NEGRO brasileiro bisneto de Nigerianos e tataraneto de Angolanos D. Rosane Borges nós temos de salvar nossos filhos e netos as pessoas que a senhora menciona diretores coordenadores etc. Já estão feitos a nossa cultura será preservada por quem pratica o resto didaticamente ficará como história da cultura afro brasileira só nos livros.
    Pense que politicamente falando são poucos que querem o sucesso desta realidade o mundo hoje tem de ser pratico objetivo direto e só com o povo descendente de NEGROS nas escolas e faculdades tudo isso vai pra frente pra não ficar como o natal que é de ano em ano cuidado porque a Ultima copa no Brasil foi á 63 anos atrais o ano que eu nasci. estarei a sua disposição D. Rosane para interagir a respeito apesar do meu Estado estar de fora deste evento .
    Salvador /Bahia Ruy /F 71/41130429 este é um tema que tenho interesse é o retorno dos alunos as salas de aula os meios pelos quais levaremos temos de cria-los só pensar nos anos 60 teremos as respostas.
    objeto Motivação Participativa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s