Devotos acordam cedo para prestar as homenagens no Dia de Iemanjá

Baianos e turistas lotam bairro do Rio Vermelho, em Salvador, neste dia 2.
Neste ano, a casa onde os presentes são depositados abriu no domingo.

Devotos homenageiam a Rainha do Mar, em Salvador. (Foto: Maiana Belo/G1 BA)

Devotos homenageiam a Rainha do Mar, em Salvador. (Foto: Maiana Belo/G1 BA)

Ainda durante a madrugada desta segunda-feira (2), Dia de Iemanjá, os devotos começaram a chegar ao bairro do Rio Vermelho, para homenagear a Rainha do Mar em Salvador.

 

Devota Iemanjá Bahia Salvador (Foto: Maiana Belo/G1 BA)
Vitória Rezende participa desde criança das
homenagens a Iemanjá (Foto: Maiana Belo/G1 BA)

A estudante Vitória Rezende, que já é experiente na festa, preparou um balaio com diversos presentes pra Iemanjá, como espelhos, esmalte e perfume.

“Desde pequena gosto de vir. Minha mãe já me trazia. Trouxe os presentes não para pedir, mas para agradecer. Fiz tudo rápido, durou só um dia”, disse.

Apesar do Dia de Iemanjá ser comemorado na capital baiana desde 1923, todos os anos a praia do Rio Vermelho fica lotada de baianos e turistas que marcam presença na festa pela primeira vez.

É o caso dos turistas Alexandre Campos e Eloísa Helena. O casal de São José dos Campos, no interior de São Paulo, está curtindo a festa de Iemanjá pela primeira vez, e trouxe o filho de dois anos.

“Estamos encantados e queremos voltar outros anos. Entregamos flores e viemos para agradecer. Como a gente também não consegue não pedir nada, aí a gente pede saúde, porque o resto a gente conquista”, disse Eloísa.

Casal paulista Iemanjá Salvador Bahia (Foto: Maiana Belo/G1 BA)
Casal paulista marca presença pela primeira vez na Festa de Iemanjá (Foto: Maiana Belo/G1 BA)

Já a design de moda Manuela Janzen, que presta as homenagen a Iemanjá todos os anos, aproveitou a oportunidade para apresentar a tradicional celebração à amiga Valeria Torres que, mesmo sendo soteropolitana, comparece à festa pela primeira vez.

Amigas Festa de Iemanjá Bahia Salvador (Foto: Maiana Belo/G1 BA)
Manuela, de branco, e Valéria, de azul, chegaram
cedo para a festa(Foto: Maiana Belo/G1 BA)

“Todo ano eu venho, é coisa de família. Nem conto mais os anos que acordo bem cedinho e venho deixar minhas flores para ela. É um ritual lindo, todo mundo na mesma energia”, disse Manuela.

“Sou daqui mas é a primeira vez que venho no dia mesmo da festa. Sempre vim um dia antes entregar minhas flores”, afirma Valéria.

Elas explicam que a escolha por dar flores para Iemanjá não é só estética. “Flor é bom que não polui mar”, destaca Manuela.

Para depositar as oferendas, Maria da Graça Brito e a sobrinha Amanda Seera decidiram pagar um barquinho para entregar as flores a Iemanjá. Segundo Maria da Graça, elas tomaram a decisão, porque a fila para colocar a flor na casa de Iemanjá, com os outros presentes que compõe o balaio da oferenda, estava muito grande.

Tia e sobrinha Iemanjá Salvador Bahia (Foto: Elias Dantas/Ag. Haack)
Amanda e Maria da Graça preferiram pagar um
barquinho, ao invés de ficar na fila para fazer a
oferenda (Foto: Elias Dantas/Ag. Haack)

“A fila estava enorme, sem contar que o clima está muito quente. Então preferimos vir direto no mar. Bem melhor o barquinho. Acho só que deveria ter um barco maior e de graça porque caberia mais gente”, afirma Maria da Graça.

“Pagamos R$ 30 as duas juntas. Já venho aqui há uns oito anos. A primeira vez foi para deixar o umbigo da minha primeira filha e hoje vim para deixar o umbigo da segunda”, disse Amanda.

A festa de Iemanjá teve uma novidade este ano. A casa onde são depositados os presentes para a Rainha do Mar foi aberta na véspera da festa, no dia 1° de fevereiro, às 7h, de acordo com o Marcos Souza, presidente da associação de pescadores do Rio Vermelho.

“A casa vai ser aberta mais cedo também para as pessoas mais idosas que, preferem adiantar a doação do presente, porque não poderá vir no dia”, explica.

Além das homenagens no Rio Vermelho, um grupo vai ao Dique do Tororó nesta segunda para dar a oferenda de Oxum, Rainha da Água Doce. “A gente faz a oferenda para Oxum não ficar com ciúmes de Iemanjá”, explica Marcos.

Todas as oferendas serão colocadas no mar por volta das 16h. A partir das 18h, quando a casa de Iemanjá for fechada, o público poderá se divertir pelas ruas do Rio Vermelho com as festas profanas.

Uma das mais populares festas de celebração pública do candomblé, o dia de Iemanjá começou a ser festejado em 1923, quando diminuiu a oferta de peixes da Vila dos Pescadores do Rio Vermelho. A tradição conta que eles pediram ajuda à orixá e ofertaram presentes para ela. A oferta foi feita no meio do mar e, desde então, a festa é realizada todos os anos.

Fogos de artifício anunciam o início das homenagens a Iemanjá, ainda durante a madrugada. (Foto: Max Haack/Ag. Haack)
Fogos de artifício anunciam o início das homenagens a Iemanjá, ainda durante a madrugada. (Foto: Max Haack/Ag. Haack)
Devotos vão à beira do mar entregar as oferendas à Rainha do Mar. (Foto: Max Haack/Ag. Haack)
Devotos vão à beira do mar entregar as oferendas à Rainha do Mar. (Foto: Max Haack/Ag. Haack)
Fonte: G1
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s