“Jornada da Cultura Silenciada” reúne representantes da cultura negra do Litoral Norte

A programação do evento ainda inclui a participação do grupo de Jongo Ô de Casa, do Quilombo da Fazenda Picinguaba, de Ubatuba. (Foto: Divulgação/PMI)

O Espaço Cultural Pés no Chão promove, entre os dias 30 de maio e 5 de junho em sua sede na Barra Velha, em Ilhabela, a “Jornada da Cultura Silenciada”.

O evento faz parte da segunda etapa do projeto Memórias Reveladas, realizado pelo Pés no Chão com o patrocínio da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental – Seleção Pública Comunidades.

O evento conta também com o apoio da AMAI (Associação do Movimento Afrodescendente de Ilhabela).  Esta fase do projeto tem como propósito realizar um mergulho na memória da população afro-brasileira do Litoral Norte, com o intuito de conhecer sua contribuição para o universo caiçara.

A equipe do projeto realizou pesquisas, entrevistas e registros audiovisuais, visitou Quilombos e convidou lideranças de comunidades afrodescendentes para participar do evento.

Por outro lado, os alunos do Projeto prepararam, nos últimos meses, apresentações artísticas de dança, teatro, capoeira, canto, e também fizeram pinturas relacionadas ao universo da cultura negra.

Esse movimento resultou num evento plural, que se volta tanto para o público infantil em sua programação quanto para os adultos, incluindo professores, estudiosos e interessados pela cultura afrodescendente.

Na noite de sábado (4/6), a partir das 18h, acontecerá uma Roda de Conversa, organizada pelo professor Beto, da AMAI. Ela será formada pela Dra. Cintia Bendazzoli, arqueóloga e historiadora, e figuras de expressão no contexto da religiosidade afrodescendente como o sacerdote de candomblé Ataualpa de Figueiredo Neto (Tatá Cajalacy).

Também marcarão presença, representantes de organizações ligadas à cultura negra, como Teresinha de Oliveira Marciano Costa, presidente da Zambô do Movimento Negro de Caraguatatuba, Ditinho Elegância, músico e atual Secretário Municipal de Cultura de Ilhabela, Nega da Capoeira, responsável pelo grupo organizado Semear, de Ilhabela, Noemi, presidente da AMAI e da Liga das Escolas de Samba de Ilhabela, Marcos Cardeal, da Associação dos Congueiros, Dona Izanil, da Congada de Ilhabela e integrantes da Capoeira e do Movimento Hip Hop. Nessa noite também haverá uma Mesa de Autógrafos do livro “O fuxico de Janaína”, escrito por Janaína de Figueiredo e Tatá Cajalacy.

A programação ainda inclui a participação do grupo de Jongo Ô de Casa, do Quilombo da Fazenda Picinguaba, de Ubatuba.

No domingo, dia 5, a partir das 19h, serão realizadas as apresentações artísticas dos alunos do projeto Memórias Reveladas. Os grupos de teatro mostrarão um esquete sobre os preparativos da Congada de Ilhabela e outro sobre a Lenda da Escrava Josefa, de Ubatuba.

Os grupos de dança apresentarão coreografias inspiradas no Jongo, o grupo de canto apresentará uma música do cancioneiro tradicional, e os alunos de capoeira farão uma roda.

O Espaço Cultural Pés no Chão fica na Rua Macapá 72, na Barra Velha. Maiores informações pelo fone (12) 3896-6727 ou no site http://www.pesnochao.org.br. Entrada Franca.

Fonte: Portal R3

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s